terça-feira, 16 de dezembro de 2008

O silêncio - Parte 2

Outra definição que achei interessante para a palavra "silêncio" foi "omissão de explicações". E quando isso acontece entre "amigos", estamos a beira de um colapso.

Surgem tantas coisas para falar sobre "omissão de explicações", mas em meio a todas elas fico sem palavras, mesmo porque a própria definição por si só já é suficiente para nos levar ao entendimento correto do que o silêncio, nessa ocasião, pode nos trazer.

Claro que estou escrevendo isso porque de fato alguém me deve explicações, porém, seu silêncio abafou a história e afogou todo o resto.

Bom seria se o SILÊNCIO, somente ELE, fosse capaz de nos dar as devidas explicações, mas como estamos falando de pessoas, o silêncio acaba se tornando uma espécie de escudo, que acaba escondendo as fragilidades e tentando redimir da culpa!
E como gente que somos, queremos pagar a omissão no silêncio com conversas vãs, expondo tudo o que não foi dito em sua totalidade, será que vale a pena?

Participei de um treinamento e a palestrante disse o seguinte:

-"Quando estamos tomados por uma raiva incontrolável ou alguma sensação semelhante a esta na qual sabemos que não podemos controlar, é preciso pagar o RESGATE!
O resgate nada mais é do que contar até 10 e se acalmar. Quando estamos dominados por essas sensações DEVEMOS pagar o resgate, e para isso é preciso RESPIRAR FUNDO."

A verdade é que prefiro o barulho ensurdecedor do SILÊNCIO, ao silêncio absoluto da OMISSÃO.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...