terça-feira, 7 de abril de 2009

Entenda a Páscoa!

A Páscoa é uma data móvel, que acontece anualmente entre 22 de Março e 25 de Abril. É comemorada no primeiro domingo após a lua cheia do 'equinócio' de Março. O 'equinócio' é o período do ano em que o Sol passa pelo Equador fazendo com que os dias sejam iguais às noites, o qual ocorre de 20 a 21 de Março e de 22 a 23 de Setembro.

A palavra Páscoa vem do hebraico “Pessach”, que significa passagem e dá origem ao termo espanhol “pascua”, italiano “pasqua” e o francês “pâques”.
Os antigos hebreus foram os primeiros a comemorar a Páscoa, que possui diversos significados. Em termos históricos, ela celebra a libertação dos hebreus da escravidão no Egito e a passagem através do Mar Vermelho.

No entanto, o significado da festividade é diferente no cristianismo. Nela, celebra-se a ressurreição de Jesus Cristo que ocorreu três dias depois de sua crucificação. Ela é a principal festa do calendário litúrgico cristão e, provavelmente, uma das mais antigas, pois surgiu nos primeiros anos do cristianismo.

Em 1º Coríntios 11:24a26 lemos que Jesus tomou o pão, "e tendo dado graças, partiu-o e disse: "Isto é o meu corpo, que é dado em favor de vocês; façam isto em memória de mim". Da mesma forma, depois da ceia ele tomou o cálice e disse: "Este cálice é a nova aliança no meu sangue; façam isso sempre que o beberem em memória de mim". Porque, sempre que comerem deste pão e beberem deste cálice, vocês anunciam a morte do Senhor até que ele venha." Com isso Jesus substituiu a comemoração da páscoa por uma cerimônia memorial, a CEIA. Hoje em dia as igrejas evangélicas comemoram a morte e ressurreição de Cristo através da Cerimonia da SANTA CEIA.

Mas o que tem a ver os ovos e coelhos com a ressurreição de Cristo?

* Alguns historiadores sugerem que muitos dos atuais símbolos ligados à Páscoa, são resquícios culturais da festividade de primavera em honra de Eostre ou Ostera (é a deusa da fertilidade e do renascimento na mitologia anglo-saxã) que, depois, foram assimilados às celebrações cristãs do Pessach, depois da cristianização dos pagãos germânicos. Contudo, já os persas, romanos, judeus e armênios tinham o hábito de oferecer ovos coloridos por esta época.

Ishtar (que é a deusa dos acádios, herança dos seus antecessores sumérios, cognata da deusa Astarote dos filisteus, de Isis dos egípcios, Inanna dos sumérios e da Astarte dos Gregos, mais tarde esta deusa foi assumida também na mitologia nórdica como Easter - a deusa da fertilidade e da primavera), tinha alguns rituais de caráter sexual, uma vez que era a deusa da fertilidade, outros rituais tinham a ver com libações e outras ofertas corporais.

Um ritual importante ocorria no equinócio da primavera, onde os participantes pintavam e decorava ovos (símbolo da fertilidade) e os escondiam e enterravam em tocas nos campos. Este ritual foi adaptado pela Igreja Católica no princípio do 1º milênio depois de Crito...

O hábito de dar ovos de verdade vem da tradição pagã. O hábito de trocar ovos de chocolate surgiu na França. Antes disso, eram usados ovos de galinha para celebrar a data.

A tradição de presentear com ovos – de verdade mesmo – é muito, muito antiga. Na Ucrânia, por exemplo, centenas de anos antes da era cristã já se trocavam ovos pintados com motivos de natureza – lá eles têm até nome, "pêssanka" – em celebração à chegada da primavera. Os chineses e os povos do Mediterrâneo também tinham como hábito dar ovos uns aos outros para comemorar a estação do ano. Para deixá-los coloridos, cozinhavam-os com beterrabas. Mas os ovos não eram para ser comidos. Eram apenas um presente que simbolizava o início da vida.

A tradição de homenagear essa estação do ano continuou durante a Idade Média entre os povos pagãos da Europa. Eles celebravam Ostera, a deusa da primavera, simbolizada por uma mulher que segurava um ovo em sua mão e observava um coelho, representante da fertilidade, pulando alegremente ao redor de seus pés.

* Pesquisa no Wikipédia

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...