sábado, 25 de julho de 2009

Uma história mal contada.


"Julle chegou na roda e comentou uma história que ela tinha escutado, ela não conteve sua boquinha e contou uma história que foi passada para ela, não se sabia se era verdade ou era mentira. Na mesma semana Amme resolveu descontar uma pisada de bola que uma das suas amigas fez com ela e resolveu contar uma versão sua de uma historia que não existiu, fazendo sua amiga ficar com uma fama ruim. Norton viu seu amigo viajando para fora do país, ficou muito chateado com isso e resolveu contar também sua versão, contou para todo mundo que na verdade em vez de ir a passeio ele foi se prostituir fora do país."

Se você parar para pensar todas as histórias lidas assim não teria nada de mais, talvez ninguém mais dentro da roda de convívios fosse espalhar as mentiras que foram contadas nas 3 histórias.

Mas geralmente isso não acontece, geralmente a mentira costuma virar algo bem maior e aquela moeda jogada no alto de uma montanha vira uma verdadeira bola de neve que pode matar muito mais do que meia dúzia de pessoas. As pessoas que contaram e participaram as vezes não tem ideia do resultado final porque deixaram de participar apenas contaram, mas para a pessoa que foi atingida o resultado pode ser bem pior do que um simples constrangimento.

C. H. Spurgeon diz que há algumas virtudes suas que jamais seriam descobertas se não fossem as provações pelas quais você passa. Quando você esta numa roda de convívio e num evento da vida você resolve sair, pode descobrir coisas boas e coisas ruins, descobre que levou amigos ou pode descobrir que nunca teve amigos, descobre muitas coisas e muitos sentimentos, muitas provações e muitas delas serão expressadas por você quando descobrir algumas histórias que contaram sobre você.

A pior arma e a mais eficaz é a língua, hoje com internet a língua representada por blogs/sites/twitter se tornou democrática ao ponto de todos terem opiniões que chegam a serem mais respeitadas do que tudo. A língua constrói a língua destrói, brigas são obras de maldizentes, histórias, mentiras causam brigas. Sem lenha, o fogo se apaga; e, não havendo maldizente, cessa a contenda. Geralmente muitas pessoas neste mundo virtual democrático e também no mundo real se ocupam falando mal dos outros e semeando contendas, alguns são isqueiros, outros apenas contam pequenas mentiras, sem saber no que pode acontecer, chegando a mudar parte da historia de uma vida. O que muitos sabem, mas não aceitam pelo fato de continuar fazendo é que Deus detesta tal comportamento. Na Bíblia na qual temos como um dos únicos livros mais relevantes para nossas vida ele inclui contendas entre os piores dos pecados.

A falta de humildade é uma das fontes das contendas que dividem pessoas, amigos, colegas. Da soberba só resulta a briga, mas com os que se aconselham se acha a sabedoria. O que ama a briga ama o pecado; o que faz alta a sua porta facilita a própria queda.

Brigas são fáceis de começar e difíceis de terminar. Fica o rancor, fica os isqueiros, fica os incendiários, fica a inveja, fica muitas coisas ruins. Como um pequeno buraco numa barragem facilmente sai do controle da pessoa que o fez, uma pequena contenda cresce de tal maneira que ninguém consegue freá-la. A melhor maneira de resolver uma briga é não começá-la, C.H Spurgeon estava certo quando disse que há algumas virtudes suas que jamais seriam descobertas se não fossem as provações pelas quais você passa, eu provei algumas “virtudes” não tão boas, espero aprender ter um pouco do amor desse tal de Jesus, que diz que o amor constrange.

3 comentários:

moreijo disse...

e isto mesmo ,durante a vida conhecemos muitos "amigos" mas e assim mesmo o importante e viver e não ficar sozinho, pois a solidão e o caminho para o esquecimento...fuiiiiii

Valdeir Almeida disse...

Rodrigo,

Infelizmente, as pessoas retratadas em seu texto existem aos montes.

E elas nem têm consciência de que o que fazem prejudicam as vítimas.

Não apenas falam de outras pessoas, mas sempre acrescentam algo que nunca existiu. Mas quem tem língua afiada, um dia acaba cortando a si mesmo.

Abraços.

Rodrigo Melo disse...

Pois é Moreijo,

Passei muito tempo querendo recuperar amizades e colocar os pontos nos 'is', mas só agora percebi que amigos vem e vão e que devemos tentar ao máximo ser 'melhor amigo' e pensar na reciprocidade, mas quando não há, o que fazer?! A verdade é que sei o que 'NÃO' fazer, não utilizar da pior e mais eficaz arma: 'A LÍNGUA.

Me alegro muito em saber que gostou de ler neste sábado essa postagem! Seja sempre bem-vindo!

A Paz!

Olá Valdeir,

É verdade, pessoas iguais ao texto existem de monte, mas o que me faz postar sobre esses temas é a (minha) necessidade de sempre estar em alerta, pois temos a tendência de agir da mesma forma.

Eu por muitas vezes já agi assim, e por motivos de vingança explícita, pois achava que deveria cobrar justiça e o único jeito era agir da mesma forma que outrem.

O final da história é esse mesmo... '... mas quem tem língua afiada, um dia acaba cortando a si mesmo...', a gente acaba saíndo ferido de situações como essa, mesmo que tenhamos sido os acusadores, ninguém sai ileso.

Obrigado por comentar e seja sempre bem-vindo!

A Paz!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...