segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Como destruir a teologia da prosperidade?

Por Thiago Azevedo do blog Descando da Alma

Hoje acordei com as seguintes questões em minha mente:
Porque a teologia da prosperidade dá tão certo em nosso território? E como fazer para que ela possa perder sua força?

Cheguei a conclusão de que se grita muito em termos de teologia, demonstrando bíblicamente que ela é equivocada e fruto de uma visão deturpada de promessas divinas, entretanto, o povo continua seguindo suas desvirtuações. Isso tem uma razão, não tão simples, mas uma boa razão, a esperança. Pense num país como o nosso, com todas as suas disparidades sociais, onde muitos tem nada e poucos tem tudo. Todas as nossas mazelas que enfrentamos todos os dias, isso faz com que a teologia da prosperidade não somente tenha força, mas seja praticamente a única resposta plausível para toda essa barbárie que vemos hoje.

Estou defendendo tal teologia? De forma alguma. Acredito que ela não tem fundamento e se baseia em uma falsa esperança que não se alimenta, apenas depreda o ser humano que é envolvido numa rede egoísta de fé, mas o que seria do homem sem a fé e é essa a força motriz que lhe dá sustentação. Por outro lado, na contra-mão disso tudo, por que perdemos tanto espaço para essa desvirtualização do sagrado? Justamente porque não conseguimos dar uma resposta satisfatória para essas mazelas, se a teologia da prosperidade avançou é justamente por nossa inabilidade em se aproximar do povo mais pobre e oprimido, de acessar as entranhas de seus problemas, resumindo, intelectualizamos a nossa fé a tal ponto que perdemos o foco de Jesus, onde ele fala aos simples e luta por eles. No fim, a nossa religiosidade protestante se tornou um artigo fino e de luxo, somente para os "eleitos" e quem são esses eleitos? Olhem para suas igrejas e vejam a sua maioria, do que é composta? E pensem, onde estão os pobres e miseráveis desse mundo?

Queremos ver exterminada da face da terra a teologia da prosperidade? Então devemos descer de nossos pedestais teológicos e nos aproximar dos oprimidos, devemos ressignificar nossa fé elitista para uma fé que seja acessível ao pobre e miserável. Fé esta que é marcada pela prática e não pelas divagações.

Devemos também não nos ater aos debates infindáveis tentando convencer os pais da teologia da prosperidade local a se dobrarem ante a "verdadeira" teologia, antes devemos lutar para que não haja espaço para essa teologia nefasta se frutificar, como? Lutando por mais ética e justiça, distribuição de renda, lutar por um país mais ético, onde não haja mais a distribuição da pobreza, mas da riqueza. Que haja terra para todos morarem e tenham condições de sobreviver. Devemos mostrar pelos nossos atos que estamos sonhando junto com esses necessitados de Deus e também assim como queremos um país melhor, devemos querer uma igreja melhor, mais ética, mais justa e que se importe de verdade com o próximo, onde todos tem espaço e não apenas as castas clericais, que esta seja uma igreja movida pelo amor, amor este que provém de Deus.

Esses são os primeiros caminhos para a derrocada da teologia da prosperidade.

Paz e bem.

***

Não deixem de conferir o podcast sobre A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE, por irmaos.com.

2 comentários:

Wagner disse...

Excelente princípio para comecermos uma reflexão madura sobre o assunto. Graças a Deus que depois de tanta coisa ruim publicada, aparece algo que realmente presta.
Muito bom!
Wagner

Pastor Julio Fonseca disse...

É mamom entrando nas igrejas e tentando destituir a glória de Deus. Irmão minha última máteria fala sobre isso chama-se DIGA NÃO A TEORIA DA PROSPERIDADE. Temos que chamar o povo de Deus as origens da fé, não é quanto mais se tem, é como você é de fato.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...