sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Nada de novo no Ano Novo, será?

0 comentários
Incrível como este ano aconteceu sem que eu percebesse (até agora) o grande avanço obtido em minhas amizades, meus relacionamentos, superando minhas próprias expectativas.

Sempre que chegava o final de ano, um sentimento nostálgico rondava a minha mente e o meu coração. Uma sensação de que no passado já havia vivido momentos melhores e que não podia esperar ‘muito’ para o ano seguinte. Sempre foi assim: Natal, Ano Novo e a angústia por perceber que não cresci verdadeiramente, não como um adulto e cristão.

Cheguei a pensar que existia um carma em minha vida, tipo um inferno astral. É pessoal, por vários anos seguidos me preparava para uma ‘bomba’ que estourava todo o final de ano. Uma delas foi uma suposta denúncia de assédio moral em uma empresa que trabalhei, outra foi uma amizade que terminou por conta da incapacidade de dialogar, e mais recentemente me deparei com uma liderança ousada e por que não usada pelo diabo, enfim, foram muitos os problemas que me tiraram a paz, justamente em um momento de renovo e reflexão, mas que para mim tornava-se decepção. Foram anos e anos sem que eu me desse conta de que deixava de viver o melhor de Deus para minha vida.

Mas este ano foi diferente, o que parecia inferno astral transformei em circunstâncias, mudei o foco e passei a enxergar através das pessoas e suas intenções. Fiquei mais introspectivo que o normal é verdade, mas valeu cada palavra não dita e cada pensamento preso em minha própria mente. Desta forma vi relacionamentos se fortificarem e muitos outros desmoronarem sem que necessariamente eu precisasse me expor, foi algo de Deus e ainda tem muito mais por vir, pois percebi que Deus não precisa de mim para agir, porém, se assim o quiser Ele o fará.

Agindo com cautela e de sobreaviso, superei mais um ano de trabalho cheio de desafios com metas e o mais importante como uma família unida em um único objetivo.

E percebi que o que move os relacionamentos começa em como você interage com os outros e desta forma tentei, inda que lentamente, mudar para que familiares me enxergassem diferente do que antes era e comecei a enxergá-los de outra forma. Não é fácil, não traz prazer imediato, não conforta o coração, mas como cristão temos que ser diferentes e agir diferente.

Este ano foi como outro qualquer, cheio de altos e baixo, corrido como todos os demais, mas diferente de todos, porque eu posso enxergar possibilidades para o ano que vem:

Posso ser um homem melhor, um marido melhor, um filho melhor e um irmão melhor.

Posso ter um emprego melhor e eventualmente ter um salário melhor, porque não?

Posso ter mais e mais amigos e um relacionamento melhor com Deus.

Posso fazer uma faculdade, pois é depois de tanta resistência acabei cedendo.

Enfim, como tudo que aconteceu este ano foi demasiadamente bom, eu creio que no ano que vem tudo será de novo, NOVO.
 E para você, quais são as possibilidades para 2011?

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Quem é você? - Parte 4

0 comentários
Por Ev. Elias Codinhoto - Blog Mensagem de Vida


Quem você é? Você é o que Deus diz que você é!



A maior expressão do amor de Deus para nós é esta: “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” Romanos 5:8.


Com qual visão vai ficar?  A dos outros, a sua ou a de Deus?

“Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando o Senhor, teu Deus, dando ouvidos à sua voz e apegando-te a ele; pois disto depende a tua vida e a tua longevidade; para que habites na terra que o Senhor, sob juramento, prometeu dar a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó” Dt 30:19-20.

... Ao concluir a ministração, voltei para meu lugar, mas, o Espírito Santo começou a falar comigo, dizendo que tinha pessoas ali que estavam tão feridas em sua identidade, que mesmo depois de ouvirem como Deus as vê ainda se questionavam: “será que sou realmente o que o pregador diz que sou?”.

O grupo de louvor já tinha começado a ministrar e eu estava reprimido pensando: “eu já entreguei o microfone, não posso retornar ao púlpito”. O Espírito Santo, porém, insistia comigo: “você precisa orar por eles, convidando-os a dar um passo de fé”.

Percebendo que não podia resistir, tomei coragem e voltei ao púlpito. O grupo de louvor estava muito sensível a tudo que Deus estava fazendo ali e, imediatamente o Pb. Felipe me devolveu o microfone. O louvor continuou baixinho enquanto eu fazia o apelo: “O Senhor me pediu que voltasse por você (enfatizei). Ele me disse que tem pessoas aqui, que foram tão feridas em suas identidades, que ainda se questionam se realmente são o que Deus te diz que são. Eu voltei para orar por vocês. Saiam de seus lugares e venham à frente, pois Deus quer que oremos, Ele quer restaurar identidades aqui!”.

Eu não pude deixar de notar o espanto do líder do louvor, quando imediatamente as pessoas se levantaram para vir à frente. Sei que Deus restaurou a vida de muitos naquela noite.

Talvez você esteja se perguntando por que estou descrevendo o momento do apelo. É justamente por sua causa! Você que também precisa desta oração. Dê um passo de fé e ore comigo:

“Querido Deus! Somente o Senhor pode definir quem sou. Eu me arrependo por ter dado ouvido as vozes, seja dos outros ou a minha própria. Eu concordo com Sua visão a meu respeito e aceito Sua Graça (favor imerecido). Quero ser o que o Senhor diz que sou. Por isso limpe minha mente e meu coração de toda palavra mentirosa, continue falando a meu espírito, quero estar sensível a Sua voz, pois só Tu podes dizer quem sou. Amém!”

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Quem é você? - Parte 3

1 comentários
Por Ev. Elias Codinhoto - Blog Mensagem de Vida


Você é meu filho! João 1:12 - "... deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus..."

Você é mais que vencedor, pois Eu te amo! Romanos 8:37b

Você é sal da terra! Mateus 5:13

Você é luz do mundo! Mateus 5:14

Você é amigo de Cristo! João 15:15 "... eu os tenho chamado amigos..."

Você é sacerdote, e reinará sobre a terra! Apocalipse 1:6; 5:10; 20:6

Você é parte da videira verdadeira, um canal da vida de Cristo! João 15:1-5

Você é escolhido por Cristo para produzir seu fruto! João 15:16

Você é servo da justiça! Romanos 6:18 "... tornaram-se escravos da justiça..."

Você é servo de Deus! Romanos 6:22

Você é justo e santo! Efésios 4:24 "... semelhante a Deus em justiça e em santiade..."

Você é cidadão dos céus! Filipenses 3:20

Você é santuário de Deus!  1 Coríntios 3:16

Você é ministro da reconciliação! 2 Coríntios 5:17-20

Você é filho da Luz a não das trevas! 1 Tessalonicenses 5:5

Você é uma nova criatura em Cristo! 2 Coríntios 5:17

Você é feitura de Deus! Efésios 2:10 "... somos criação de Deus..."

Você é co-herdeiro com Cristo, compartilhando a Sua herança! Romanos 8:17

Você é templo, morada de Deus, Seu Espírito e Sua vida estão em ti! 1Co 3:16; 6:19

Você é obra de Deus, nascido em Cristo para fazer a sua obra! Efésios 2:10

Você é nascido de Deus e o maligno não pode tocar-lhe! 1 João 5:18

Você é livre para sempre da condenação! Romanos 8:1-2

Você está certo de que todas as coisas cooperam para o seu bem! Romanos 8:28

Você está assentado nos lugares celestiais! Efésios 2:6

Você pode tudo em Cristo que te fortalece! Filipenses 4:13

Você não recebeu espírito de covardia, mas de poder, amor e moderação! 2 Timóteo 1:7

Você pode encontrar graça e misericórdia em ocasião de necessidade! Hebreus 4:16

Você foi remido e perdoado de todos os seus pecados! Colossenses 1:14

Você é completo em Cristo! Colosseses 2:10  "... vocês receberam a plenitude..."

... continua ...

domingo, 26 de dezembro de 2010

Quem é você? - Parte 2

0 comentários
Por Ev. Elias Codinhoto - Blog Mensagem de Vida 

1 - Quem os outros dizem que sou?

Muitas pessoas criaram suas identidades baseadas nas opiniões dos outros e hoje são pessoas frustradas, com baixa autoestima, tristes, frustradas. Quando deixamos que as pessoas definam quem somos, elas se tornam deuses em nossas vidas, pois nos tornamos o que elas falam.

Quando alguém diz: “você não é nada, você não vai conseguir, você é feia, magra, gorda, burra, irresponsável, fracassada e etc.”, se damos atenção, nos tornaremos isso mesmo, principalmente quando quem fala é alguém que valorizamos, que amamos, respeitamos, como nossos pais, parentes e amigos.

Saiba que Deus não deu a ninguém esse direito, mesmo a quem amamos. “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais.” Jeremias 29:11

2 - Quem eu digo que sou?

A outra resposta é: quem sou aos meus próprios olhos, como me vejo no espelho, como me defino.

Se você tem uma autoestima forte, pode se definir além do que é, e, é assim que muitos se tornam pessoas arrogantes, autoritários, amantes de si mesmas, pessoas de coração endurecido (Ezequiel 11:19 e 36:26), que não valorizam ao próximo.

Outros, com autoestima fraca, podem se definir abaixo do que são, e se tornam pessoas tímidas, infelizes, sempre acreditando que os outros são melhores do que elas, sem iniciativa, são medrosas, desistem facilmente de seus ideais, a vida delas se torna uma decepção constante. Por mais que sejam belas, que tenham as coisas, ainda se acham feias e sem nada, é como se ninguém as amasse. A Bíblia diz: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” Jeremias 17:9. É arriscado seguir esse coração enganoso e corrupto, não podemos confiar nossa identidade a nossa própria visão.

3 - Quem Deus diz que sou?

A terceira e ultima resposta é: “quem eu sou aos olhos de Deus e como Ele me vê”.

Somente o Criador, aquele que projetou o ser humano, traçou as cadeias de DNA, emoções, sentimentos, cor de pele, cabelos e etc, pode dizer quem somos. Todas as outras respostas são meras suposições, não se aproximam da verdade, e verdade é uma só: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” João 14:6. Jesus é a verdade, só Ele pode dizer quem você é.

Se você quiser saber quem é aos olhos dos outros, basta perguntar-lhes. Para saber quem é aos seus próprios olhos, é só se olhar no espelho e descrever a imagem que vê. Mas, se você quiser saber quem é aos olhos de Deus e realmente conhecer a verdade a seu respeito, deixe o Espírito Santo te conduzir pelas páginas da Bíblia Sagrada, então ouvirá o Pai sussurrando aos seus ouvidos...

... continua ...

sábado, 25 de dezembro de 2010

Quem é você? - Parte 1

0 comentários
Por Ev. Elias Codinhoto - Blog Mensagem de Vida

Chegando Jesus à região de Cesaréia de Filipe, perguntou aos seus discípulos: "Quem os outros dizem que o Filho do homem é? Eles responderam: "Alguns dizem que é João Batista; outros, Elias; e, ainda outros, Jeremias ou um dos profetas". "E vocês?", perguntou ele. "Quem vocês dizem que eu sou?" Simão Pedro respondeu: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo". Respondeu Jesus: "Feliz é você, Simão, filho de Jonas! Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus.Mateus 16:13-17

... Uma passada rápida pelo hotel Tourist (onde eu fiquei hospedado)... e meus anfitriões já batiam à porta para me levar de volta à igreja. O jantar foi servido no Salão Social, que leva o nome do Pr. Moacir Barcelos da Silva, um grande homem, que, pelo que me contaram, foi um dos fundadores da igreja em Pelotas. Os irmãos que vieram em caravanas e muitos membros da igreja local se reuniram para o jantar, como no Salmo 133:1 ...

A igreja estava lotada. Os diáconos tiveram que improvisar acentos com as cadeiras do refeitório. Me informaram que tinha cerca de quatrocentas pessoas na reunião da noite. Após um período muito abençoado de louvor e adoração, foi me dada novamente a oportunidade. Não era preciso ser muito espiritual para perceber que o Espírito Santo estava no controle do culto, pois sua presença era marcada por alegria, paz, comunhão e temor a Deus...

Diz o texto de Mateus 16, que Jesus foi para os lados de Cesaréia, que significa “separado”. Cesaréia de Filipe estava situada ao pé do Líbano, próximo as nascentes do Jordão em Gaulanites. Anteriormente chamada de Panéias, foi posteriormente reconstruída por Felipe, o tetrarca, e chamada por ele de Cesaréia, em honra a Tibério César; subseqüentemente chamada Neronias por Agripa II, em honra a Nero. Cesaréia da Palestina foi construída próximo ao Mediterrâneo por Herodes, o grande, no lugar da Torre de Estrabo, entre Jope e Dora. Foi provida com um porto magnífico e recebeu o nome Cesaréia em honra a Augusto. Foi a residência de procuradores romanos, e a maioria de seus habitantes eram gregos. Foi neste cenário, um lugar “separado”, que o Mestre pergunta a seus discípulos: “Quem sou Eu?”. Quero propor que transfira a pergunta para si: Quem é você?

Talvez você responda a está pergunta dizendo: “sou Elias, João, Maria, Antônio, Fátima, Lucia, Edson...”. Mas, será que Deus concedeu a seus pais o direito de irem a um cartório e com isso definir quem você é? Veja o que a Bíblia diz: “Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe” Apocalipse 2:17. Deus tem um novo nome para você, um nome que Ele conhece e, é por esse nome que Deus te chama, então não importa o nome que seus pais te deram. Você é mais que um nome!

Talvez você ainda responda dizendo: “sou brasileiro, americano, italiano, nordestino, baiano, carioca...”. Mas será que o lugar onde você nasceu pode definir quem você é? Você é mais do que uma região geográfica!

Ou talvez sua resposta seja: “sou jovem, adolescente, idoso, ou uma criança, como respondeu Jeremias (Jr 1:6)”. Mas ainda questiono: “será que o momento em que nascemos pode definir quem somos?” - Alguns ainda dizem: “sou de gêmeos, de capricórnio, de leão...”. Mas será que o dia de se nascimento pode definir quem você é? Você é mais que um signo, mais que uma data de nascimento!

Ainda tem os que dizem: “sou operário, pedreiro, médico, advogado...”. Será que nossos estudos, nossa formação profissional define quem somos?

Afinal! Quem é você?

Conforme texto áureo, existem três respostas a essa pergunta.

Primeiro Jesus pergunta: “Quem os outros dizem que o Filho do homem é?”, ou seja, o que os outros dizem a meu respeito, quem sou eu na visão dos outros?

Segundo: “Quem vocês dizem que eu sou?”, qual a sua própria opinião?

Mas a resposta de Pedro vem em uma terceira ótica: “Porque isto não lhe foi revelado por carne ou sangue, mas por meu Pai que está nos céus.”, Pedro respondeu com a verdade porque não expressou a opinião dos outros nem a sua própria, mas respondeu segundo a visão do criador.

... continua ...

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Relacionamentos.

0 comentários

É certo que Deus quando fez o ser humano não o fez para viver sozinho, tanto é que Ele mesmo disse: “... não é bom que o homem esteja só...” Gênesis 2:18. Deus fez o homem para viver em comunidade, em família, para relacionar-se.

Ao estabelecer a Sua Igreja, Jesus Cristo dá a mesma ênfase e podemos ver isto nos textos a seguir: Romanos 12:5, fala que a Igreja é um corpo e estamos todos ligados, Atos 2:42, menciona a comunhão da Igreja e por último, Atos 2:44, diz que mantinham-se unidos.

A Igreja é chamada de Corpo e Família. Tanto uma coisa como outra subentende interdependência para o bom funcionamento. O desejo de Deus é nos aperfeiçoar por meio dos relacionamentos, tirar de nós o egoísmo, nos fazer cada vez mais altruístas (relação onde o outro é mais importante) e praticantes do amor compassivo.

Relacionar-se é tão importante para a Igreja, que no Novo Testamento as expressões “uns com os outros”, “uns aos outros” e “entre si” aparecem mais de cinquenta vezes. Como cristãos e parte integrante do Corpo de Cristo, somos ordenados a: amar, saudar, incentivar, admoestar, servir, ensinar, aceitar, honrar, perdoar, submeter-se, nos dedicar uns aos outros, orar uns pelos outros e carregar o fardo uns dos outros.

Como vemos, temos muitas obrigações mútuas no corpo de Cristo e isto é ser membro, do ponto de vista bíblico. Essas são nossas responsabilidades familiares, que devemos cumprir nos relacionando na Família de Deus. Se repararmos na expressão “uns aos outros”, perceberemos que a iniciativa sempre partirá de mim. Isto também é dito no texto de Mateus 7:12 “Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam...”.

Deus nos aperfeiçoa por meio dos relacionamentos, esta foi uma das maneiras que Ele encontrou para fazê-lo no corpo de Cristo. Rick Warren fez uma declaração que esclarece e conclui este pensamento: “Somente pelo contato regular com crentes comuns e imperfeitos podemos aprender o verdadeiro companheirismo e experimentar a verdade do Novo Testamento: sermos unidos e dependentes uns dos outros.”

Que Deus nos abençoe e nos amadureça nesta caminhada de servirmos o Corpo de Cristo, a Família de Deus e uns aos outros no amor do Senhor.

Parabéns Tarbernáculo Jacuí por mais este ano de benção.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A inveja dos homens malignos.

0 comentários
Essa semana novamente o velho homem apareceu. Ele é assim: chega de repente e quer causar um grande estrago. Quanto mais eu me preparo para enfrentá-lo, mais ele arranja meios para me tirar do alvo.

No meu caso o velho homem aparece, na maioria das vezes, quando vejo a ‘ungida do senhor’. Ela realmente me tira do sério com seu jeito peculiar de ser.

Mas de que adianta toda essa resistência e falta de compreensão da minha parte? De que adianta esbravejar e ainda que erroneamente, querer tirar satisfações de uma ‘Pobre coitada’? Devo sempre ter à memória de que Deus está voltando e muitos que se dizem Teus filhos não o são de verdade, embora estejam trabalhando incansavelmente na obra do Senhor, o fazem por simples incompreensão do ‘ide’ do Senhor.

Quero um dia compreender porque pessoas agem assim, quero um dia poder olhar para algumas delas e não sentir mais repulsa.

E o que importa nesse momento é ouvir o que a Palavra do Senhor tem a dizer: “Não tenhas inveja dos homens malignos, nem desejes estar com eles, pois o seu coração medita a violência, e os seus lábios falam maliciosamente.” Provérbios 24:1e2

Meu caro leitor, isso já aconteceu com você, ter um sentimento de inveja por pessoas más? Eu, até pouco tempo atrás me envergonhava por achar que esse sentimento em minha vida era genuíno, mas ao ler esse versículo, percebi como o inimigo quer nos confundir, e descobri o que nutria esse sentimento: a raiva e a incompreensão pelo simples fato de pessoas más estarem à frente de ministérios.

O segundo passo é querer ‘estar’ com eles, talvez não literalmente, mas de uma maneira que possamos acompanhá-los de longe em suas peripécias. É um desejo de compartilhar, de viver o que eles vivem, de fazer o que fazem, baseando-se na inveja que nutrimos por eles, entende? Mesmo sabendo que meditam em seus corações a violência, não física, mas espiritual, comparado a um assédio moral cristão, mesmo sabendo que só falam maliciosamente e evidenciam a intenção de tirar vantagem por trás de cada palavra e cada gesto. Ainda assim, nutrimos o desejo de ‘estar’ com eles.

Mas que bom que o Senhor é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Ele é fiel, e Suas misericórdias se renovam a cada manhã.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Compartilhar é preciso!

0 comentários
Temos que decidir sempre por algo ou alguém, e esse é o nosso dilema, pois nos tornamos reféns, em algum momento, de amigos, de parentes, de vizinhos. Quase sempre saímos no prejuízo e não somos ressarcidos.

Já estive em situação embaraçosa entre dois ex-amigos, que buscavam o meu apoio incondicional. Perdi outras dezenas de amigos por escolherem um lado (oposto ao meu) ao invés de se adaptarem as mudanças. E é verdade que muitas foram as vezes que fui pivô de alguma situação da qual eu exigia retratação do difamador e queria os meus amigos por perto. Mas a vida é assim, cheia de escolhas. Decisões nada fáceis por sinal.

É nessa hora que percebemos quão importante é um amigo, porque compartilhar é preciso!

É nessa hora que não rimos mais, pois não faz sentido. É nessa hora que não sonhamos mais, pois vivemos acorrentados com o “se”, e alimentamos a falsa ideia de que tudo voltará ao normal. É verdade que pela graça de Deus tudo pode ser revertido, pois assim como diz o salmista: “... o choro pode persistir uma noite, mas de manhã irrompe a alegria.” Salmos 30:5b

Porém, é verdade também que em alguns momentos devemos tentar viver em paz com todos. Façam todo o possível para viver em paz com todos.” Romanos 12:18

E se o silêncio a despeito das inúmeras ofensas for a resposta para o ‘viver em paz com todos’, assim o farei.

E se por ventura tirar uma história a limpo representar o ‘viver em paz com todos’, desta forma agirei.

E se por acaso o perdão vier seguido de uma ação de esquecimento descarado, e assim continuar a ‘viver em paz com todos’, porque não?

Mesmo fazendo todo o possível para viver em paz com todos e acreditando que na manhã seguinte irromperá a alegria, entristeço-me em saber que mesmo com o passar dos anos, alguns continuaram a ruminar, suas mágoas e desilusões, frustrações e decepções, rancores e falsa modéstia.

Continuarei triste quando olhar para tal situação e imaginar como poderia ter sido diferente se Deus habitasse verdadeiramente naquele lar, junto ao casal, junto aos familiares.

É triste porque sei que Deus é justo e no momento certo (caso continuem com a mesma postura) lhes dirá: “... Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!” Mateus 7:23. Não vai adiantar falar das obras pelas obras.

O meu desejo é que em algum momento aconteça um despertar sobrenatural.

“Sobreveio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou à graça”. Romanos 5:20

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Devemos transpirar Cristo!

1 comentários
Nas últimas ministrações que tivemos, ouvimos muito sobre o que fazer, ou melhor, qual conselho dar ao invejoso. E o mais interessante é que paralelo a essas ministrações estava ouvindo as pregações da IBAB, mais especificamente a série “Seja Alegre”.

É incrível como a Graça de Deus nos cerca e seu amor e misericórdia nos cura de tantas feridas, e ainda nos deixa mais fortes para tantas outras que teremos.

Quantos de nós não estamos chateados ou mal-humorados porque algo está acontecendo e não nos favorece ou alguém insiste em nos perturbar? Quantas são as lutas que devemos passar?, e muitas delas não há como explicar, embora seja contingente, mas mesmo assim não entra na nossa cabeça tais lutas.

Nas ministrações de Fape (grupos pequenos) o que mais me chamou a atenção é o fato de que estamos cercados de situações que podem nos levar a um entendimento maior do que é a Graça de Deus revelada em nós, mas na maioria das vezes nos fechamos em nossos pequenos problemas, em nossas pequenas frustrações e não nos deixamos ser usados e guiados pelo Espírito Santo. Isso acontece quando o nosso alvo não é Cristo.

A verdade é que muita coisa pode acontecer conosco, pessoas podem nos menosprezar e situações desconfortáveis nos esperam no futuro, porém, se o nosso alvo não for Cristo, de nada adianta nossas súplicas, nossos temores. Se Cristo não estiver no centro da nossa vontade nada fará sentido.

Então, o que de fato devemos dizer ao invejoso? Devemos transpirar Cristo! Não é fácil, eu sei, mas devemos praticar o amor que d'Ele brota.

Poderia dizer o que pessoas invejosas fazem, e como suas acções prejudicam os de bem, mas não é o foco e não está em meio coração. O que está em meu coração é dizer que por mais que estejamos feridos, podemos ser fonte de cura para outras pessoas. Assim como ministrado nas pregações da Ibab.

Então, não deixe que algo ou alguém roube a alegria que vem de Deus. Pague mal com bem. Seja feliz, apesar de tudo.

“Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus. Todos nós que alcançamos a maturidade devemos ver as coisas dessa forma, e, se em algum aspecto vocês pensam de modo diferente, isso também Deus lhes esclarecerá.” Filipenses 3:13-15

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Em via de...

0 comentários
Esse blog já não é mais o mesmo... antes eu produzia mais, lia mais, mas agora, meus Deus, quanto descaso da minha parte. Estou deixando de lado algo que por algum tempo serviu de terapia.

Estou fazendo um esforço (?) danado para que este blog não vire estatística.

Preciso retomar urgente a rotina deste espaço que por vezes foi meu único aliado. Foi aqui que encontrei os reais motivos da raiva contida, foi aqui que deixei as impressões de amigos e pessoas distintas, foi aqui que 'rasguei' as minhas vestes e compreendi o que sou de fato, o que querem que eu seja, e o que nunca vou ser.

Mas assim como acontece no nosso dia-a-dia, os blogs também precisam de amigos, eles também precisam de motivações externas e talvez seja por isso que aos poucos deixo este aqui, outrota tão cuidadosamente editado, quaser morrer as minguas.

Este é um post curto (sim, é verdade...) e talvez o início de algo novo (isso eu já não posso garantir...), mas já agradeço a Deus por me conduzir até aqui.

Já é um (re)começo...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O sexo dos Bem Casados.

0 comentários
Por Jasiel e Ivone Botelho - Blog Bem Casados

Os Dez Mandamentos da Sexualidade

1. Santidade. Amarás teu cônjuge com todo teu coração com toda tua alma, com todo o teu corpo em plena santidade, sabendo que foi Deus quem fez a sexualidade sendo ela Limpa, Pura, e Santa dentro do casamento. Sexo é uma bênção de Deus.

2. Romantismo. Amarás teu cônjuge com toda consideração e sentimento, com todo o respeito e romantismo. Sabendo que uma relação sexual começa não somente a noite quando chegas e tiras a roupa, mas desde a manhã quando as veste para sair.

3. Responsabilidade. Amarás teu cônjuge de forma ativa e não passiva, pois tu és responsável por teu próprio prazer sexual, não podes transferir para teu cônjuge peso e a responsabilidade de tua sexualidade. Não espere, tome a iniciativa.

4. Comunicação. Amarás teu cônjuge com toda liberdade, expressando abertamente teus sentimentos, necessidades, gostos, preferências e desejos. Através de um diálogo expontâneo , sincero e descontraído. Converse com teu cônjuge.

5. Criatividade. Amarás teu cônjuge com toda criatividade, evitando a rotina e a monotonia. Use diferentes horários, diferentes locais, diferentes posições, diferentes situações. Uma música romântica, uma penumbra, uma roupa especial etc.

6. Humor. Amarás teu cônjuge com alegria, não levando o sexo demasiadamente a sério, lembre-se: fazer amor é um prazer, é um lazer, é um divertimento, é uma brincadeira, não um dever ou obrigação. O humor tira a tensão e o medo.

7. Privacidade. Amarás teu cônjuge com toda intimidade, garantindo toda segurança de não serem interrompidos por terceiros, a ameaça de uma interferência inesperada rouba a liberdade de uma total doação, não há liberdade sem privacidade, tranque a porta por dentro.

8. Higiene. Amarás teu cônjuge como um jardim, com o perfume das flores com suas pétalas limpas, coloridas, delicadas e cheirosas. O corpo todo é sexuado podendo ser desfrutado por inteiro como um instrumento de amor.

9. Realidade. Amarás teu cônjuge como ele é , sem ilusões ou fantasias, sem transferências de imagens eróticas ou românticas fantasiosas, procurando no parceiro o motivo certo e verdadeiro de uma excitação e satisfação sexual.

10. Reciprocidade. Amarás teu cônjuge com excelência, não preocupando-se apenas com a quantidade do sexo, mas também com a qualidade. Evoluindo do orgasmo egoísta ao altruísta até descobrir o caminhar juntos para uma qualidade de prazer.

"O Amor jamais acaba, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta, o amor é paciente, é benigno, não ciumento, não vaidoso, não soberbo, não inconveniente não interesseiro, não violento, não maldoso, é justo e verdadeiro." 2 Coríntios 13.

sábado, 23 de outubro de 2010

Quando estiver morto estará pronto.

0 comentários

NOTA: Desde o dia 11 de Outubro de 2010 Bianca Toledo está internada no hospital Pasteur, no Rio de Janeiro. Ela teve complicações ocasionado por uma  interrupção no intestino, ligado a sua cirurgia no estômago que resultaram em uma infecção generalizada, hemorragias, diminuição da coagulação sanguínea, descontrole da pressão arterial. A complicação se agravou ocasionando um coma induzido, Bianca deu luz a José Vittório que recebeu os primeiros cuidados e já está de alta junto com o pai Renato Pimentel. FONTE: http://biancatoledopimentel.zip.net/ Twitter: @BiancaTolledo
 
Vivemos em um tempo onde somos cercados de manjares. Manjares para o ego, para a carência, para o vazio, para indecência.
Chegam por todos os lados. Soluções fáceis… Doces distrações. Mentiras atraentes, atos inconsequentes, inquieta mente busca… Paz.

A decisão de seguir à Cristo nos dá o direito de saber a verdade e escolher estar com ela. Muitas vezes esse processo não é agradável, porque somos estimulados o tempo todo por um mundo de mentiras e prazeres imediatos. E continuamos vazios. Donos da razão.

A Ilusão de encontrar em alguém, ou em alguma forma ou estado a sensação ideal, a felicidade, é uma busca sem fim.

A busca do poder, do controle e da aprovação, seja ela familiar, profissional ou religiosa só nos afasta dia a dia da verdadeira liberdade para a qual fomos chamados. Todos nós queremos o sucesso, e quando o conseguimos percebemos que, nesse aspecto, ele não é determinante.

E assim acontece com o casamento, com as posições respeitadas de liderança, com as soluções estéticas, e com tudo aquilo que possa nos parecer um facilitador da felicidade.

O convite que eu recebi hoje de Deus foi para refletir sobre seu filho, que abrindo mão de tudo, nos céus e na terra, cumpriu sua missão, vivendo com abundância. Ele não só teve em si a plenitude de todas as coisas, mas a compartilhou com quem estivesse com ele.

A decisão de segui-lo, porém, exige de nós o desejo de ser como ele.

“Se alguém quiser vir após mim, negue à si mesmo” Mc 8:34

Porque esquecemos frases como essa quando procuramos respostas, e buscamos apenas as promessas? Não cansamos de andar em circulos?

Quanto maior o benefício, maior a responsabilidade.

Negar a si mesmo não é alienar-se da realidade. Pelo contrário, muitos buscam na religião uma nova decoração para suas prisões e enfermidades.

Preciso morrer para as minhas desculpas, para minhas mentiras, para o meu conforto que me mantém alheio à vontade de Deus.

Abrir mão, renunciar a própria razão, e obedecer. Ser como Ele! Um preço diário por uma glória eterna! Não é abrir mão dos prazeres, ou dos benefícios de uma vida de sucesso. É eleger uma matriz, uma fonte, ser com Ele, ser por Ele e para Ele.

Porque absolutamente ninguém quer mais a sua felicidade que aquele que entregou a própria vida por você.

Você estaria disposto a morrer por Ele?

Está disposto a matar o seu ego? O egoísmo? O orgulho? A soberba? A crença de que suas obras o justificam? A independência?
Preocupar-se mais com suas intenções do que com suas ações?

”Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só, mas se morrer, dá muito fruto.” Jo 12:24

Sem morte não há produtividade. O reino de Deus não é uma filosofia, nem uma religião de rituais vazios. É um compromisso real de sacrifício racional, que aos poucos, dia-a-dia, preenche todos os espaços da alma, alinhando nossa personalidade com a sabedoria de Deus.

Desta forma, nos tornamos agentes deste reino, atuando positivamente na igreja e principalmente na sociedade como Jesus atuou. Não mais porque desejamos aprovação e alimento para o ego, mas simplesmente porque desejamos compartilhar o que recebemos do Pai.

Ele hoje me pergunta: Quanto de mim há em você? Quando Morrer, estará pronta.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Pioridade

0 comentários
Por Mário Machado em Licença Poética no irmaos.com

O fim da vida é triste e sempre cercado de dor.
Um velho treme de frio sob o melhor cobertor.
Vai-se o brilho dos olhos, vai-se as forças das pernas,
Só fica mesmo as lembranças, de tudo o que se era.
A velhice é um mau agouro! Traz sempre um tom de desgosto.
Trás marcas bem mais profundas que todas as rugas do rosto!
Um velho anda devagar, não porque não tenha pressa,
Vive esquecendo-se de lembrar, não porque não se interessa...

São as limitações humilhantes!
Lembrando que você jamais será o mesmo de antes!
Antes da soma dos dias, do avanço dos anos, da mão fria do tempo.
Carregava o mundo nas costas, e hoje, o levantar-se já é tormento.

Velhos, são na sua maioria, solitários!
Absortos, reprisam seus dias de glória, remexem seus relicários!
Fragmentos de uma vida que parecia fazer sentido,
Antes, de ser junto às fotos amareladas até dos filhos esquecido.

É uma indignidade saber tanto e poder tão pouco!
Velhos normalmente são surdos e quando falam encontram ouvidos moucos.
Amadurecer é uma história, envelhecer é outra bem diferente!
Uma é escolha, outra, um processo que não depende da gente.

Ninguém quer ser velho, mas não se quer morrer cedo!
A morte que se aproxima a cada limitação, do velho é o grande medo!
Mas se isso é coisa certa, que a velhice trás a morte,
Morrer cada vez mais velho é sinal de boa sorte!

Para ruminar vida afora:

"Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor, teu Deus, te dá." Êxodo 20:12

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Perdoar ou não? Eis a questão.

0 comentários
Estamos participando de um curso, Casados Para Sempre, em nossa igreja que está nos remetendo a diversos sentimentos, uns novos e outros, a tanto tempo, adormecidos.

E diante de tudo que estamos estudando, uma situação tem nos chamado a atenção. Está relacionado ao 'perdão'.

Nos fez lembrar que em uma reunião ouvimos do Ev. Elias o seguinte: “Perdoar não é um sentimento e sim uma escolha”. Mas como distinguir o sentimento da razão? Como jogar no mar do esquecimento as afrontas e investidas de pessoas que querem indirectamente (ou não) nos magoar?

Não é fácil. Nunca é.

Mas aprendemos que essa fase dura por um período, e foi bem ilustrado pelo Adriano, que disse o seguinte: “Anos atrás sofri um acidente e levei cinquenta pontos na mão. Ao chegar no hospital a dor era horrível, após alguns dias a dor continuava. Mas agora, depois de anos, o que vejo são as marcas, a cicatriz, lembro-me da dor dos pontos e do sofrimento, mas hoje não dói mais.”

E é assim que funciona, é um processo de 'cura' que somente pessoas com o coração disposto podem desfrutar. Ainda que não saibamos como, ou que não tenhamos a intenção de liberar o 'perdão', se estivermos dispostos a entregar essa situação nas mãos do Senhor, Ele fará tal situação mudar. Devemos entregar nossos desapontamentos e mágoas ao médico dos médicos, pois Ele nos dará subterfúgio para lidar com tais situações.

Mas como sabemos se estamos ou não deixando que Deus cuide de tais situações? Será que o simples fato de olharmos para a pessoa que um dia nos magoou e não sentir aquela vontade de 'esganar' é o suficiente para dizer que perdoamos?

As vezes sim, as vezes não.

Devemos a princípio deixar de ser o 'Juiz' da situação, pois como vítima das atrocidades iremos inocentar a nós mesmos e condenar aquele a quem nos afrontou. Também devemos lidar com nosso sentimento de justiça com muita cautela, sabe porque?

“Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês. Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: 'Deixe-me tirar o cisco do seu olho', quando há uma viga no seu? Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão.” Mateus 7:1a5

"Que Deus nos abençoe, que façamos o melhor por Ele e para Ele."

Lançamento: "Meus Passos No Tempo"

0 comentários
Galera, amanhã vai rolar o lançamento do cd "Meus Passos No Tempo" do Thiago Grulha.

Se você está na dúvida se vale a pena ou não estar nesse evento, deixo abaixo um exelente post do músico e blogueiro Jonas Paulo sobre o cd do Grulha.

Estou na expectativa de um show imperdível, mas acima de tudo guiado pelo Espírito Santo.

Um pequeno salmista andando pelo tempo.

Há um cineasta russo que disse em seu livro que a música é a moldagem filosófica do tempo. No caso das canções de Thiago Grulha, dever-se-ia estender o conceito para o campo da Fé, da Teologia, da Doutrina e Vida Cristã. Meus passos no tempo parece ser o retrato do que vive, pensa e faz um jovem salmista da nossa geração, anotando tudo em nossa memória através do seu canto. É com os olhos no retrovisor das próprias vivências que Thiago evoca as imagens e experiências que canta no disco com uma voz singela e precisa, sem muitos rodeios. A principal marca do disco é a presença de canções, na mais bela acepção da palavra, aquela que nem meu sempre útil Caldas Aulete traz no verbete:

canção (can.ção) sf. 1 Qualquer composição musical (popular ou erudita) para ser cantada. 2 Poesia lírica.

O problema do verbete é a palavra “qualquer”. Correto do ponto de vista da língua, mas não do ponto de vista de uma minha Filosofia da Arte, a partir da qual defendo que casamentos especiais entre poesia e sons merecem ser chamados de canções. Grulha é cancionista! Tem aquelas fagulhas criativas que depois de lapidadas viram poemas, e muita vez, se encaixam perfeitamente numa idéia sonora; ou ainda, desafiando o próprio compositor, já nascem as duas coisas, texto e música juntas, presenteadas por Deus num ato de plena graça.

Musicalmente o CD tem uma textura pra lá de agradável, com pelo menos 2 singles que estourariam fácil em circuito comercial. Às vezes tenho a impressão de que está chegando a hora de artistas cristãos como Grulha, Hélvio Sodré, Banda Resgate entre outros experimentar lançar seus materiais em circuitos maiores do que apenas as rádios evangélicas, mas isto não é assunto para agora… Meus passos no tempo remete a um Brit-Rock corajoso e Pop, com uma coisa de Coldplay aveludado por um leve sotaque Folk pela presença de fortes violões de aço como o de Cacau Santos na lindíssima canção Não é o fim, que bem me lembro ter história, e uma história que ainda vai deixar o Thiago Grulha com a voz embargada por muitas vezes. As escolhas de timbres e arranjos são muito corajosas e acredito que poucos produtores além de Paulo César Baruk ousariam investir em tamanha economia como na da que ouvimos na faixa de abertura e sua repetição como bonus-track.

Fiquei mais uma vez impressionado com a voz poderosa, plástica e expressiva de Leila Francielli num dueto lindíssimo com Thiago. Coisa linda de composição, de arranjo, interpretação e tudo mais! Até a mix me impressionou pelo bom gosto no preenchimento dos espaços e o belo “palco sonoro” montado pelas mãos de Eduardo Garcia. O equilíbrio da masterização contribui para a escuta dos detalhes, dos efeitos. Tudo na medida para a construção de um belo álbum! Os samples da faixa Tempo para amar são outra boa surpresa. Além de bem sequenciados, ornam o belo arranjo de Thiago Cutrim.

Outro destaque é a interpretação de Grulha para a já clássica Choro acompanhado num arranjo que transborda bom gosto e sensibilidade do Leandro Rodrigues.

Um espetáculo de simplicidade e captação de uma idéia, de um conceito é o projeto gráfico do CD. Fez com que mais uma vez eu sentisse saudades do formato dos LPs. Imagino a capa e as fotos de Lucas Motta em dimensões mais avantajadas… Seria algo pra se pensar paras as próximas empreitadas da Salluz Productions: uma edição limitada para os que ainda sabem e gostam de colocar a agulha no vinil!

Em seu terceiro álbum, Thiago Grulha parece ter atingido uma constância impressionante na concepção de canções que falam a uma geração que parece estar voltando a se sentir tocada pelo uso das palavras.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

sábado, 25 de setembro de 2010

Confissões... (4)

0 comentários
Dia desses postei no twitter que estava um relaxo no blog, pois precisava pensar menos e escrever mais. Essa talvez seja a receita para se manter um blog, mas será que é válido?

Eu, por exemplo, costumava escrever sobre tudo o que acontecia e de certa forma gostava de deixar o meu recado para as pessoas envolvidas, mas com o passar do tempo percebi que não importa (para os outros), pois não serão minhas postagens que farão acontecer alguma mudança em suas medíocres vidas (ou vão?).

É verdade, sinto-me inclinado a expor algumas histórias, mas de nada valerá se não para ridicularizar pessoas, e não farei isso. Mas posso aqui dizer o que sinto, e isso não será de todo ruim, pois falo de mim.

Conforto-me com os acontecimentos e por poder descobrir que não somos nada se comparado a imensidão do mundo. Somos tão pequenos, tão insignificantes e teimamos em travar guerras infinitas, apenas para nos satisfazer o ego.

Conforto-me com os meus pensamentos e por poder perceber o quanto estou melhorando, pelo simples fato de apenas observar.

Conforto-me com os poucos telefonemas, com as poucas mensagens e com o trato rebuscado que se transformou alguns relacionamentos. É um tanto exagerado achar que todos ao nosso redor são amigos de verdade, mas aos poucos que o fazem é o suficiente para manter esse “mistério” da amizade.

Estou contente por ver (A)amigos desenvolvendo ministério. É verdade que alguns resolvem fácil os mal-entendidos para assim usufruir o que há de melhor em ser líder, mas louvo a Deus por aqueles que perseveraram e estão contribuindo para o Reino de forma exemplar, sem que necessariamente seja mais importante o título do que o servir.

Louvo a Deus por um casal (estamos em dívida com eles) que em um ato de verdadeira ousadia nos mostrou que os detalhes da nossa vida e as mentiras contadas por (até então) cristãos não devem ser mantidas como empecilho para o nosso crescimento espiritual.

Apesar de preferir o barulho ensurdecedor do SILÊNCIO, ao silêncio absoluto da OMISSÃO, ainda estou vivendo o melhor para minha vida!

"Coloquei toda minha esperança no Senhor; ele se inclinou para mim e ouviu o meu grito de socorro." Salmos 40:1

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

O respeito divino.

0 comentários

"Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu- se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu- lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas."

Pedro negara a Jesus da forma mais angustiante. O último contato entre Pedro e o Cristo fora logo após o canto do galo. A profecia se cumprira: antes do galo cantar, Pedro negara, três vezes, conhecer ao Cristo; e quando o galo cantou os olhares de Pedro e do Cristo se encontraram... Nada mais restava a Pedro, senão sair para chorar.

Quando as mulheres, no domingo da ressurreição, foram ao túmulo para embalsamar o corpo de Jesus, encontraram o Anjo, que, após comunicar a ressurreição do Cristo, transmitiu-lhes a missão de comunicar aos discípulos e a Pedro, que o Cristo os encontraria na Galiléia.

Ao orientar ao Anjo que nominasse a Pedro, Jesus comunicou-lhe que fora perdoado e reincluso no colégio dos alunos do Cristo. Estava de volta ao time!

Galiléia dos gentios... Jesus reencontra Pedro. Primeiro, comeram, sempre um momento de descontração, ainda que estivessem diante do numinoso manifesto em carne, o que sempre silencia quem quer que seja. O mistério, quanto mais maravilhoso, mais impõe o pausa da reverência. E, então, começa um diálogo inusitado que não surpreende pelo constrangimento natural, mas pelo conteúdo.

Jesus tem a conversa esperada com seu aluno renegado, mas, para surpresa geral e particular, não toca no assunto. Não inquire sobre os motivos de tal abjeto ato, que, ademais, lhe havia sido avisado com antecedência; não questiona o porquê de não ter pedido ajuda quando teve oportunidade, nem pronuncia o temerário: "eu não lhe disse?".

Jesus, o Cristo, respeita o arrependimento de Pedro. O Messias quer, apenas, saber se a base para a retomada de qualquer relacionamento continua presente no coração do aprendiz. Se Pedro ainda o amava.

O mais triste no pecado é perceber que, ainda que por um momento, um amor consumido pelo egoísmo traiu o amor que sustenta vida, o amor por aquele que, na essência, é amado mais que a própria vida.

Arrepender-se é voltar consternado ao amor que, abandonar leva à perda do sentido da existência. Esse retorno tem de ser respeitado!

Nada mais angustiante do que o desrespeito ao arrependido. Nada mais terrível do que erro já confessado continuar a ser o assunto de rodas de pretensos irmãos. Nada mais aviltante do que pessoas a quem foi pedido perdão, principalmente, se mentores, ficarem a espalhar o que lhes foi dito no lugar sagrado da confissão.

A condicão indispensável para se sustentar a sinceridade do perdão ou do amor é o respeito ao arrependimento. Logo, o respeito ao arrependido. A maneira de respeitar o arrependido é o silêncio que dá lugar ao amor. O arrependimento é fruto de dor que o perdão deveria consolar.

Jesus acreditou em Pedro e lhe devolveu a honra, devolveu-lhe as chaves do Reino. O Cristo sempre faz assim quando perdoa!

E o surpreendente, tendo como base o cristão moderno, é que os demais apóstolos nunca questionaram o ato do Cristo. Ninguém saiu a contestar Pedro ou a reinvidicar para si as chaves pelo Senhor devolvidas. Ninguém nunca mais tocou no assunto. Não há pecado onde Deus não imputa pecado. O arrependimento tem de ser respeitado. Pedro voltou a ser digno de confiança como o deve ser quem quer que tenha se arrependido.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...