quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Confissões... (3)

 Um mês é muito pouco para demonstrar o quanto preciso de um tempo... Tempo para administrar tudo que tem acontecido e para di-ge-rir mais alguns sapos. Mas não posso perder o hábito de escrever aqui, não mesmo! Sinto-me na obrigação de falar com você meu 'caro amigo', talvez só aqui possa me ouvir.

Não consigo entender, ou melhor, até entendo, mas fico imaginando como as pessoas podem se esquecer de certos feitos. Talvez eu não tenha tanta misericórdia assim, é verdade, e é por isso que não consigo (ainda) olhar para uma determinada situação e fingir que nada aconteceu. Muitos vão aqui dizer que esse é o milagre do perdão, concordo com esses muitos, mas pergunto: já perdoaram a todos os seus desafectos? Ah?? Desafectos? Sim, crente também tem desafectos, e olha que não são poucos...

Passei uma longa temporada reflectindo sobre o 'deixar pra lá', ouvi tantas coisas que me encorajaram a tomar essa atitude, e o fiz de fato. Mas essa sensação de 'deixar pra lá' sempre é esquecida aos domingos quando os vejo. Sei que Deus está no controle de tudo e está no controle desta situação também, e é por isso que preciso do meu tempo, do Seu tempo meu Deus.

... tempo de amar e tempo de odiar, tempo de lutar e tempo de viver em paz ... Eclesiastes 3:8 

Sabe o que somos? Somos medíocres! Dia desses eu estava conversando com algumas pessoas e cheguamos a seguinte conclusão: vivemos em uma redoma de vidro, em uma espécie de bolha religiosa que nos faz sentir mais 'santo' que os outros e que nos cega para aquilo que está acontecendo ao nosso redor. Estamos sempre no meio termo, nunca envolvidos, nunca comprometidos, nunca alicerçados. Somos demasiadamente crentes nas 'igrejas', porém, fora delas voltamos a ser o que somos de verdade, e é quando não tem ninguém por perto que aparece o nosso verdadeiro 'eu'.

Eu sou medíocre quando me ocupo com uma situação tão ridícula e com alfinetadas já esperadas de um casal tão 'esperto' que insiste em falar de Deus e blá blá blá, enquanto amigos e familiares vão me deixando, porque os deixei primeiro.

Mas comprometo-me a mudar, primeiramente com meus amigos e familiares. Irei visitá-los mais vezes, quem sabe lhes telefonar com frequência, mas quero sempre estar por perto para alguma emergência.

Já com relação aos meus desafectos, deixarei um lugar reservado para todos eles. Esse lugar está bem próximo da linha do esquecimento onde já não importa mais o que façam ou digam, mesmo porque tão próximo desta linha só me fará lembrar que um dia os conheci, mas não completamente, que um dia desisti de 'vê-los' pela ótica deles.

5 comentários:

Virgínia disse...

Para mim isto tudo vai além do perdão em si. Não posso perdoar porque está escrito na palavra de Deus, tenho que perdoar de coração e ainda não dá, pois certas coisas me causam nojo e não vou sair perdoando ninguém da boca pra fora. Eu sei o que isto tudo nos causou, e pior ainda ver que nada foi feito, fui até lá, gastei minha saliva e meu tempo pra nada. Muitos podem achar que Deus não se agrada da minha atitude agora pergunto e com a atitude do "Casal Esperto" Deus se agrada? Quem puder que me responda e me prove que estou errada.

Juci Barros disse...

Se é que entendi o seu "desabafo", posso dizer que certa aversão por determinados comportamentos principalmente em nossa direção é normal, é até saudável porque possibilita uma compreensão maior acerca do que nos rodeia. Quando não entendemos algumas coisas começamos a entender outras e tomar atitudes, assim, como a sua decisão das últimas linhas.
Beijos.

Meire disse...

Pois é sr. Rodrigo, eu perdoo todos de boa, rs.

Sério? Viro um bicho acuado quando magoada. Vou para a minha toca e só saio de lá quando as tristezas estão digeridas.
Não gosto de discutir relação, seja lá com quem for, prefiro dar um tempo com meus botões, pois se falo qualquer, coisa fico me martirizando. Sofro com a possibilidade de magoar alguém, então prefiro me calar.

A as pessoas mudam e, infelizmente não conseguimos manter todos os relacionamentos. Vale aqui a tal seleção natural.

Wesllão F. S. Nogueira disse...

Meu amigo, quanto conflito!




Sejamos a luz, seja qual for a situação!

é tempo de se aproximar!

Sejamos a luz!!

Rosa de Saron disse...

Não existe super crente! Ninguém é perfeito, só Cristo. Assim como nossos irmãos podemos tb errar, julgar e ter atitudes que podem ferir as pessoas e nos lever até mesmo a entristecer à Deus e ao Espírito Santo. Mas temos que ter sempre em mente que a apartir do momento que deixamos a velha criatura para trás, temos um compromisso com o Pai de tentarmos ser santos assim como o seu filho foi. Deus nunca nos obrigou a gostar de ninguém, mas sim a amá-los. Vc pode sim amar as pessoas - que é ter misericórdia, compaixão, orar por elas. Mas não necessariamente será obrigado a gostar - que é se relacionar, ser amigo, conviver, etc. Jesus nunca mentiu p nós dizendo q seria fácil. Pelo contrário Ele sempre foi justo e disse que seria dificil, e sabemos o quanto é mesmo. Mas tdo vem dEle, até mesmo a capacidade de perdoar. Entendo q o 'deixar p lá' é mais uma forma de vc entregar nas mãos do Senhor, confiando q Ele fará justiça trazendo à luz aquilo que se encontra obscuro. Pois Deus é justo e está sempre com áqueles que se rendem à Ele e ao Seu agir. Fique com Deus sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...