segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Vídeo: O que é aquilo?

0 comentários
Alguém mandou esse vídeo pelo twitter... vale a pena... confiram!

sábado, 25 de setembro de 2010

Confissões... (4)

0 comentários
Dia desses postei no twitter que estava um relaxo no blog, pois precisava pensar menos e escrever mais. Essa talvez seja a receita para se manter um blog, mas será que é válido?

Eu, por exemplo, costumava escrever sobre tudo o que acontecia e de certa forma gostava de deixar o meu recado para as pessoas envolvidas, mas com o passar do tempo percebi que não importa (para os outros), pois não serão minhas postagens que farão acontecer alguma mudança em suas medíocres vidas (ou vão?).

É verdade, sinto-me inclinado a expor algumas histórias, mas de nada valerá se não para ridicularizar pessoas, e não farei isso. Mas posso aqui dizer o que sinto, e isso não será de todo ruim, pois falo de mim.

Conforto-me com os acontecimentos e por poder descobrir que não somos nada se comparado a imensidão do mundo. Somos tão pequenos, tão insignificantes e teimamos em travar guerras infinitas, apenas para nos satisfazer o ego.

Conforto-me com os meus pensamentos e por poder perceber o quanto estou melhorando, pelo simples fato de apenas observar.

Conforto-me com os poucos telefonemas, com as poucas mensagens e com o trato rebuscado que se transformou alguns relacionamentos. É um tanto exagerado achar que todos ao nosso redor são amigos de verdade, mas aos poucos que o fazem é o suficiente para manter esse “mistério” da amizade.

Estou contente por ver (A)amigos desenvolvendo ministério. É verdade que alguns resolvem fácil os mal-entendidos para assim usufruir o que há de melhor em ser líder, mas louvo a Deus por aqueles que perseveraram e estão contribuindo para o Reino de forma exemplar, sem que necessariamente seja mais importante o título do que o servir.

Louvo a Deus por um casal (estamos em dívida com eles) que em um ato de verdadeira ousadia nos mostrou que os detalhes da nossa vida e as mentiras contadas por (até então) cristãos não devem ser mantidas como empecilho para o nosso crescimento espiritual.

Apesar de preferir o barulho ensurdecedor do SILÊNCIO, ao silêncio absoluto da OMISSÃO, ainda estou vivendo o melhor para minha vida!

"Coloquei toda minha esperança no Senhor; ele se inclinou para mim e ouviu o meu grito de socorro." Salmos 40:1

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

O respeito divino.

0 comentários

"Pela terceira vez Jesus lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas? Pedro entristeceu- se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu- lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas, tu sabes que eu te amo. Jesus lhe disse: Apascenta as minhas ovelhas."

Pedro negara a Jesus da forma mais angustiante. O último contato entre Pedro e o Cristo fora logo após o canto do galo. A profecia se cumprira: antes do galo cantar, Pedro negara, três vezes, conhecer ao Cristo; e quando o galo cantou os olhares de Pedro e do Cristo se encontraram... Nada mais restava a Pedro, senão sair para chorar.

Quando as mulheres, no domingo da ressurreição, foram ao túmulo para embalsamar o corpo de Jesus, encontraram o Anjo, que, após comunicar a ressurreição do Cristo, transmitiu-lhes a missão de comunicar aos discípulos e a Pedro, que o Cristo os encontraria na Galiléia.

Ao orientar ao Anjo que nominasse a Pedro, Jesus comunicou-lhe que fora perdoado e reincluso no colégio dos alunos do Cristo. Estava de volta ao time!

Galiléia dos gentios... Jesus reencontra Pedro. Primeiro, comeram, sempre um momento de descontração, ainda que estivessem diante do numinoso manifesto em carne, o que sempre silencia quem quer que seja. O mistério, quanto mais maravilhoso, mais impõe o pausa da reverência. E, então, começa um diálogo inusitado que não surpreende pelo constrangimento natural, mas pelo conteúdo.

Jesus tem a conversa esperada com seu aluno renegado, mas, para surpresa geral e particular, não toca no assunto. Não inquire sobre os motivos de tal abjeto ato, que, ademais, lhe havia sido avisado com antecedência; não questiona o porquê de não ter pedido ajuda quando teve oportunidade, nem pronuncia o temerário: "eu não lhe disse?".

Jesus, o Cristo, respeita o arrependimento de Pedro. O Messias quer, apenas, saber se a base para a retomada de qualquer relacionamento continua presente no coração do aprendiz. Se Pedro ainda o amava.

O mais triste no pecado é perceber que, ainda que por um momento, um amor consumido pelo egoísmo traiu o amor que sustenta vida, o amor por aquele que, na essência, é amado mais que a própria vida.

Arrepender-se é voltar consternado ao amor que, abandonar leva à perda do sentido da existência. Esse retorno tem de ser respeitado!

Nada mais angustiante do que o desrespeito ao arrependido. Nada mais terrível do que erro já confessado continuar a ser o assunto de rodas de pretensos irmãos. Nada mais aviltante do que pessoas a quem foi pedido perdão, principalmente, se mentores, ficarem a espalhar o que lhes foi dito no lugar sagrado da confissão.

A condicão indispensável para se sustentar a sinceridade do perdão ou do amor é o respeito ao arrependimento. Logo, o respeito ao arrependido. A maneira de respeitar o arrependido é o silêncio que dá lugar ao amor. O arrependimento é fruto de dor que o perdão deveria consolar.

Jesus acreditou em Pedro e lhe devolveu a honra, devolveu-lhe as chaves do Reino. O Cristo sempre faz assim quando perdoa!

E o surpreendente, tendo como base o cristão moderno, é que os demais apóstolos nunca questionaram o ato do Cristo. Ninguém saiu a contestar Pedro ou a reinvidicar para si as chaves pelo Senhor devolvidas. Ninguém nunca mais tocou no assunto. Não há pecado onde Deus não imputa pecado. O arrependimento tem de ser respeitado. Pedro voltou a ser digno de confiança como o deve ser quem quer que tenha se arrependido.

sábado, 11 de setembro de 2010

Viva o mehor da vida, viva!

2 comentários
Nosso problema é realmente a saudade do passado,  e achar que tudo poderia ser melhor. Eu acredito que o melhor para minha vida é o agora, podemos melhorar sim, mas o que vivemos nesse momento é o melhor até então.

Alguns acontecimentos recentes me colocaram no curso certo, ou não, mas ao menos estou mais próximo da realidade do que antes.

Sabe de uma coisa... a morte sempre quer nos dar um recado e quando ela surge, repentinamente ou quando é aguardada, costuma sempre sussurrar ao pé do ouvido: um dia chegará sua vez. E a pergunta que fica no ar é: O que tenho feito dia após dia para que ao final desta vida todos (ou quase todos) possam olhar e dizer 'Enquanto viveu fez muito bem à todos!'?

Será que tudo que tenho feito tem agradado aos outros? Bom, se agrada ou não, não me importa, o que realmente importa é poder levar uma vida íntegra, sem contradições, nem partidarismo. Uma vida digna de ser vivida, com altos e baixos, com emoção, com privações, com regalias, enfim, sinto-me orgulhoso por ser assim.

Tenho contacto com pessoas que passam o dia inteiro reclamando que estão sofrendo, que não são felizes, que são perseguidas, que... que e que ... o que penso de imediato? Suas escolhas definiram o curso da sua própria vida. Dá vontade de falar, berrar e xingar até que a pessoa entenda que tudo tem acontecido por uma escolha (errada ou não) e que é o melhor para a vida dela para aquele momento. Mas prefiro deixar que a própria vida encaminhe a resposta em seu tempo.

Sempre estamos tão ocupados com a falta de tempo, a falta de compreensão, a falta de amor, a falta de dinheiro, a falta disso e daquilo, que nos esquecemos de viver o melhor que temos para esse exacto momento.

Quem me conhece sabe que não sou tão optimista assim, mas tenho me policiado afim de viver as pequenas, porém importantes, mudanças na minha vida. Então, o que tenho feito com a falta de tanta coisa para mim? Estou preenchendo com a esperança...

Não vou dizer aqui o que espero, mesmo porque, como disse anteriormente o que tenho para o momento me basta, é suficiente, é o melhor.

Se você que está reclamando de falta de amigos, falta de dinheiro, de um emprego novo ou melhor, de um amor de verdade, de uma família, de filhos ou de não ter filhos, e de tantas outras coisas, saiba que poderia estar pior, mas pela graça de Deus, Ele nos sustenta, nos mantém de pé mesmo nas situações mais adversas...

Se chover, se esbarrarem em você, se te derem uma fechada no trânsito, se te maltratarem, te humilharem, te decepcionarem, se, se e se ... saiba de uma coisa:

É a contingência da vida.

Então, viva o melhor da vida, VIVA!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Nostalgia.

2 comentários
Por Paulinha - blog mANAncial

Estamos vivendo a era do mundo nostálgico, onde nós seres racionais, o que menos fazemos é utilizar-se da tal razão para nos conduzir em meio às extensas reflexões da vida.

Vivemos sempre divididos pelo passado e presente, mas com o pensamento lá no futuro...

É impossível não voltar ao passado, pois nosso cérebro (infelizmente?!) não é um HD de computador, e nossas lembranças e pensamentos não são meros arquivos que podem ser deletados em fragmentos de segundos, indo para uma alternativa lixeira, que poderão ser recuperados mais tarde, caso o arrependimento venha nos visitar.

Mas para que se prender à nostalgia do passado?!... Para que insistir nostalgicamente numa vida sem razão?! ... e para que dotar-se de nostalgia, se podemos enxergar "além do óbvio"?!

A nostalgia é um sentimento enganoso, e ela nos pega numa simples cilada...

Quantos de nós queremos reviver certos momentos, no anseio de uma saudade interminável?!

Quantos de nós vivemos esperando (com saudades indizíveis), por aquela xícara de chá com torradas, que a vovó preparava antes de falecer?!

Quantos de nós, vivemos na nostalgia, do querer retornar na cápsula do tempo para ver se dá tempo de refazer algo, ou consertar algum erro?!

Quantos de nós vivemos na nostalgia de ver um mundo 100% espetacular... perfeito?!

Quantos de nós, desejamos ansiosamente, que Jesus continuasse andando entre nós neste "paraíso mundano", para que não precisássemos ver tantos assassinatos e tantas dores que assistimos todos os dias?!

O mundo está RECHEADO de anseios nostálgicos, feito um pedaço de bolo, bem acompanhado com uma batida de saudade e melancolia...

Não sabemos se voltamos ao passado, não sabemos se queremos viver o presente... não sabemos o que nos espera no futuro... e toda esta celeuma é gerada simplesmente pelo fato de não aceitarmos o que somos, de não reconhecermos o que temos, e não percebermos que a vida é cheia de tranformações...

A transformação não advém apenas do verbo transformar, mas ela advém das suas próprias decisões. Transformar é buscar, é reconhecer, é modificar...

É aprender que a vida é pouca para ser desvalorizada, que o tempo é curto para ser desperdiçado, que a sua cabeça é imensa para ser pouco ocupada com coisas edificantes...

O nosso erro está em querer agir como os outros agem, esquecendo-nos que temos uma unicidade que nos torna capaz de sermos distintos...

O nosso erro está em esperar demais nos outros... em esperar APENAS em Deus sempre... é esperar demais que a NOSSA vida vai ser maravilhosa, sem dor, sem lembranças tristes... é esperar demais que a NOSSA fé vai nos exaltar, mas que a fé de outro irmão, se for pouca e fraca... vai derrotá-lo...

Pois é isto que vemos, alguém exaltado... e alguém derrotado...

Alguém valorizado... mas alguém humilhado...

Será que o nosso mérito depende da nossa fé?! Ou depende da nossa razão?!

Será que o mundo vai mudar, se todos tiverem fé?! Ou o mundo poderá caminhar para uma mudança, quando as pessoas começarem a pensar de forma racional?!

Creio que a racionalidade é a base do nosso pensamento. Precisamos PERCEBER o que nos circunda... acordarmos-nos para a realidade da vida, e pararmo-nos de sonhar que um dia seremos exaltados, e seremos contemplados com uma garagem cheia de carros importados...

Acordem desta nostalgia!

O passado já se foi... e estamos no trem chamado PRESENTE.

O que você não fez no PASSADO, não pode ser mais feito... mas o que você ainda não fez, pode ser feito no presente. É para isto que foi criado o presente e o provável FUTURO, para que pudéssemos ter uma nova oportunidade, um recomeço... uma chance de sermos melhores do que já temos sido...

Despertem desta nostalgia!

Parem de pensar em si mesmo, e reconheça que abaixo dos nossos olhos sempre tem alguém precisando de um olhar... de um abraço...

A nostalgia está inserida na nossa vida, devido ao nosso pensamento que iniciou um caso amoroso com ela... pois pensando como já pensamos, mas buscando sempre pensar como nunca pensamos, é que estimularemos o nosso pensamento a se relacionar com novas "parceiras", e algumas delas, são as chamadas RENOVAÇÃO e LIBERTAÇÃO...


Onde renovaremos a nossa vida, libertando-nos de "pensamentos engessados"... e consequentemente, conquistaremos a fórmula de eliminação para toda esta nostalgia que está injetada na veia de uma grande maioria.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...