segunda-feira, 13 de junho de 2011

Seja a ponte, ou não!

Na semana passada participamos de uma reunião extraordinária do FAPE em comemoração ao dia dos namorados. Foi bem interessante, pois cada irmão pode fazer uma singela homenagem a sua esposa. Foi um chororô danado por parte das mulheres, e de alguns homens também... rsrs, nos divertimos com as histórias e com as declarações de amor, enfim, foi edificante.

Ah, ouvimos uma ilustração interessante que gostaria de compartilhar:

Numa cidadezinha do interior, havia um rico fazendeiro que possuía muitas terras. Ele tinha dois filhos, sendo um completamente diferente do outro em pensamentos e ações. O filho mais velho era muito responsável, e sempre procurava obedecer ao pai. O filho caçula, ao contrário, era deveras relaxado e não se preocupava muito com responsabilidades.

Certo dia, o fazendeiro morreu, e então os dois começaram a brigar todos os dias, e acabaram assim dividindo a fazenda e nunca mais conversaram um com o outro, apesar de serem vizinhos.

O caçula, em pouco tempo, tratou de procurar um famoso construtor de muros, e pediu que esse fizesse um muro muito alto, para que nunca mais visse “a cara” do irmão mais velho na sua frente. Este viajaria por três dias, e quando chegasse, queria ver o trabalho acabado.

O construtor acertou o trabalho e trouxe sua equipe, e no final de três dias o jovem voltou da viagem e para sua surpresa, no lugar do muro havia uma linda ponte, que passava por sobre um riozinho que havia na divisa das duas propriedades.

Ele ficou furioso, procurou imediatamente o construtor, que ainda se encontrava ali dando os “últimos retoques” no trabalho e quando já estava pronto a começar a discussão, avistou ao longe seu irmão já por sobre a ponte, com lágrimas nos olhos e de braços abertos para ir acolhê-lo.

As palavras de rancor se emudeceram, ele ficou cabisbaixo, e o irmão mais velho veio ao seu encontro dando um abraço como nunca antes havia sido dado pelos dois, e em prantos, o irmão mais velho assim falou:

-“Meu irmão, eu te amo tanto, que bom que você também me ama, e acaba de me provar isso construindo essa ponte maravilhosa entre nós”.

O construtor, vendo toda aquela cena, se aproximou e disse:

-“Preciso me explicar porque fiz essa ponte no lugar do muro que você me pediu. Nesse lugar, só haveria jeito de construir uma ponte, apesar de ser muito mais difícil, eu confesso. Se o ser humano soubesse a beleza de ser uma ponte, jamais sequer pensaria na possibilidade de se tornar "um muro" para os outros.”

E dali ele saiu feliz, realizado, porque sabia que havia cumprido a sua missão. Os dois irmãos se reconciliaram, e juntos viveram felizes, como uma verdadeira família.
...

Que bom que do outro lado da ponte havia um irmão de braços abertos, com palavras sinceras e sem hesitar declarou o amor que sentia ao seu irmão caçula. Imagina se diferente disso acontecesse do irmão mais velho cruzar os braços e virar as costas para aquela situação.

Às vezes no encontramos em um destes lados da ponte.

Se por ventura estivermos do lado do irmão caçula, Deus sempre vai provocar momentos que possibilitem uma reconciliação. Isso irá acontecer mesmo que não seja possível do nosso ponto de vista e mesmo que não tenhamos a intenção de reconciliar-se com o irmão.

Se estivermos do lado do irmão mais velho, Deus perdoará a nossa falta de iniciativa, pois ainda que transborde em nossos corações o amor pelo irmão caçula, o rancor por sua vez reina sozinho e não deixará que atitudes simples como uma tentativa de reconciliação seja feita, mas mesmo assim Deus estará no controle e fará da adversidade o pretexto para a declaração do amor.

Eu sou muro em muitas situações, sou ponte em tantas outras. Sou humano e passível de erros, mas reconheço que em Deus tudo muda, mas somente em Deus as situações mudam.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...